Doenças

Fimose

O pênis é formado por duas partes: haste (corpo do pênis) e glande (cabeça). Uma camada contínua de pele, chamada prepúcio, cobre a haste e a glande peniana. Ao nascimento, o prepúcio é firmemente aderido à cabeça do pênis, impedindo a exposição deste parte do pênis. Gradualmente esta pele aderida vai separando-se da glande de modo a permitir a visualização de um material esbranquiçado, chamado esmegma, que trata-se de secreção sebácea produzida por glândulas que ficam sob o prepúcio aderido.

Fimose é uma constricção da abertura da pele do pênis que impede que a glande seja exposta. A fimose é normal (fisiológica) em meninos recém nascidos. Mas com o crescimento acontece uma acomodação desta pele com a permissão da exposição da glande. Com muitos meninos este relaxamento da pele não ocorre e o tratamento medicamentoso ou cirúrgico pode ser necessário.

Após o completo treinamento para o uso do banheiro (saída das fraldas) é aconselhável ensinar o menino a retrair o prepúcio e expor a glande quando el e for urinar.

Sintomas importantes de fimose que os pais devem estar alertas para o tratamento são:

- quando o menino vai urinar ocorre a formação de um balão na ponta do pênis;
- impedimento ou muita dificuldade de expor a cabeça do pênis após os 6 anos de idade;
- infeções de urina ou infecções no pênis (balonopostites) em meninos.

Uma dica muito importante é a orientação aos pais para evitar a retração forçada da pele do pênis em recém nascidos, o que pode levar a sangramentos e consequentemente a um processo de cicatrização o que pode levar a piora das condições locais e da condição da fimose.

Tratamento

O tratamento da fimose dependerá da severidade de apresentação da fimose. O uso de corticoesteróides tópicos é uma alternativa e poderá ser resolutivo em casos mais brandos. A correção cirúrgica ( postectomia-desenho) é necessária quando o uso de cremes tópico falha.