Doenças

Cálculos renais na infância (pedra nos rins)

Como se formam as pedras nos rins?

Normalmente a urina contém materiais (soluto) dissolvidos. Estes diferentes tipos de materiais podem ficar muito concentrados dentro da urina e passam a formar cristais sólidos. Vários cristais agrupados irão formar uma pedra, conhecida como cálculo urinário. A grande maioria dos cálculos urinários na infância são de cálcio, basicamente oxalato de cálcio. Mas as pedras também podem ser de outros componentes como ácido úrico, cistina ou estruvita.

Quais são os fatores de risco para formação de cálculos renais?

1) Desidratação: Crianças que bebem pouca água durante o dia terão urina mais concentrada, escura. Esta condição facilita que os solutos urinários formem cristais e consequentemente cálculos.
2) Dieta:
- Alto teor proteíco: dietas muito ricas em proteína, aumentam a formação de ácido pelo organismo, causando a diminuição de um elemento químico que protege contra a formação de cálculos, o citrato.
- Dietas com muito sódio: O sódio em excesso é filtrado para a urina e quando isto ocorre, o sódio leva juntamente cálcio, provocando um excesso de concentração decálcio urinário, facilitando a formação de cálculos.
3) História Familiar de Cálculos renais: Particularmente a história de litíase nos pais é importante.

Quais são os sintomas?

Após formados os cálculos urinários poderão ser eliminados pela urina totalmente sem que a criança tenha qualquer queixa. No entanto, geralmente quando as pedras ficam trancadas ao longo do trato urinário, principalmente no uretrer, elas provocam dor.

A dor ocorre nas costas ou na parte anterior da região inguinal do lado em que a pedra está. Náuseas e vômitos também podem estar presentes. A febre é um sinal de alerta pois a criança poderá estar com um quadro de infecção de urina provocado pela obstrução da urina. Na presença de febre, o tratamento deve ser muito rápido.

Como se confirma o diagnóstico?

Os exames de imagem mostram o local e tamanho do cálculo e podem evidenciar se há outras alterações como a dilatação de rins e ureteres.

- Ultrassonografia
- RX simples de abdome
- Tomografia Computadorizada de abdome

Tratamento

A escolha do tratamento deverá levar em consideração o tamanho da pedra, o número de pedras, a localização. Também se existe ou não dilatação renal e se há suspeita de infecção associada.

Muitos cálculos não requerem tratamento intervencionista, e apenas observaçãoe analgesia são suficientes.

A decisão por cirurgia para retirada do cálculo dependerá:

- Cálculos que mesmo após espera, não são eliminados;
- Bloqueio ao fluxo de urina;
- Cálculos muito grandes;
- Febre/ infecção de urina associado

As cirurgias são endoscópicas, não há necessidade de incisão. Os pacientes após a cirurgia podem ser liberados para casa no mesmo dia.