Notícias

Devemos ficar alertas com o xixi na cama?

A perda da urina que ocorre durante o sono, conhecida como enurese noturna, é um problema muito comum entre crianças de 4 e 5 anos e pode estar ligado a problemas genéticos e até psicológicos.

Molhar o lençol de vez em quando, acontece. Mas o episódio se repetir frequentemente depois da fase de retirada das fraldas já é um sinal de alerta para enurese noturna, distúrbio que atinge cerca de 15% das crianças por volta dos 5 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.

Podendo ocorrer por fatores genéticos, psicológicos, atraso no desenvolvimento do mecanismo fisiológico responsável pela micção, redução da capacidade funcional da bexiga, anormalidades na produção noturna do hormônio antidiurético ou no trato urinário e dificuldades para despertar e ir ao banheiro, esse distúrbio pode sim estar relacionado a questão emocional, principalmente quando os escapes aparecem seis meses depois de a criança adquirir o controle absoluto do xixi durante a noite. Mas, para apontar uma causa psicológica, é preciso primeiro afastar eventuais patologias físicas.

A enurese compromete a socialização, por isso, é importante que os pais entendam o caráter involuntário da doença e sejam compreensivos com os filhos. Não adianta brigar. Pelo contrário, reprimir piora o quadro e abala ainda mais a autoestima da criança.

O Pediatra pode ajudar a identificar os sintomas e dizer se é o caso de encaminhar a criança para o Urologista Pediátrico. Principalmente após o final do processo de retirada das fraldas ou diante de escapes noturnos, acima dos 5 anos.